Twitter

Twitter Updates

    Artigos Facebook

    Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

    arquivos

    Julho 2010

    Maio 2010

    Abril 2010

    Março 2010

    Fevereiro 2010

    Janeiro 2010

    Dezembro 2009

    Novembro 2009

    Outubro 2009

    Setembro 2009

    Agosto 2009

    Julho 2009

    Junho 2009

    Maio 2009

    posts recentes

    Estamos aqui: lxsustentav...

    O LX Sustentável mudou

    Mais vale tarde do que nu...

    A resposta de Pachauri

    Ainda Brasília (mas agora...

    Não há cidades perfeitas ...

    Vamos ter uma Segunda Cir...

    Planeta pode entrar em ca...

    Siemens e LNEC vão avalia...

    Como seriam as cidades se...

    Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2010

    O arrendamento jovem fica mais fácil a partir de hoje

    Há quatro anos, quando o Governo disse que iria acabar com o IAJ (Incentivo ao Arrendamento Jovem) e lançar um novo programa, mais restrito, de arrendamento aos menores de 30 anos - o Porta 65 - esta mudança das regras foi criticada pelos jovens.

     

    Segundo estes, o Porta 65 iria não apenas reduzir o valor do incentivo – um facto – mas também limitar de forma significativa o número de beneficiários do programa.

     

    Quatro anos depois, o Governo vai mexer no Porta 65 – as alterações serão hoje aprovadas em Conselho de Ministros – com o objectivo de permitir que mais 3500 jovens possam aceder ao programa.

     

    Assim, a idade máxima de admissão das candidaturas passará dos 30 para os 32 anos e a partir de agora cada jovem poderá aceder ao Porta 65 de forma seguida ou intercalada.

     

    Segundo o Diário de Notícias, o Governo quer também introduzir critérios de “maior justiça” no Portal 65, passando a permitir que passem a ser considerados no rendimento mensal bruto do candidato as prestações sociais, como o subsídio de maternidade ou as bolas e prémios atribuídos aos jovens no exercício de actividades científicas, culturais e desportivas.

     

    Por outro lado, e com as novas regras, os jovens terão de apenas declarar os últimos seis meses de rendimentos – e não um ano, como anteriormente. Outra das novidades passa por abolir a exigência de um contrato de arrendamento no processo de candidatura ao programa. Basta um contrato-promessa de arrendamento.

     

    Para uma cidade como Lisboa, esta notícia é uma bomba de oxigénio que permitirá que mais jovens em início de vida profissional tenham a hipótese de habitar na cidade – e viver na cidade. Com todos os benefícios que isso trará para as empresas, negócios e sustentabilidade da própria cidade – que, como é sabido, todos os anos perde habitantes para os concelhos vizinhos.

    publicado por LX Sustentável às 13:05
    link do post | comentar | favorito

    pesquisa

     
    Perfil de Lisboa Sustentável
    Lisboa Sustentável's Facebook Profile
    Cria o Teu Crachá

    Categorias

    todas as tags

    Parceiros












    Media Partners









    subscrever feeds