Twitter

Twitter Updates

    Artigos Facebook

    Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

    arquivos

    Julho 2010

    Maio 2010

    Abril 2010

    Março 2010

    Fevereiro 2010

    Janeiro 2010

    Dezembro 2009

    Novembro 2009

    Outubro 2009

    Setembro 2009

    Agosto 2009

    Julho 2009

    Junho 2009

    Maio 2009

    posts recentes

    Estamos aqui: lxsustentav...

    O LX Sustentável mudou

    Mais vale tarde do que nu...

    A resposta de Pachauri

    Ainda Brasília (mas agora...

    Não há cidades perfeitas ...

    Vamos ter uma Segunda Cir...

    Planeta pode entrar em ca...

    Siemens e LNEC vão avalia...

    Como seriam as cidades se...

    Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2010

    O hospital do futuro (parte 2)

     

    Ontem explicámos aqui como poderá ser um hospital dentro de 10 ou 15 anos. Um hospital sustentável, diga-se.

     

    Hoje voltamos a este assunto para o terminarmos. Aqui ficam as restantes seis dicas da Fast Company – e publicado em Portugal pelo jornal i.

     

    7. Central Eléctrica. O hospital terá uma central eléctrica própria, ultra-eficiente e que libertará o edifício da dependência das empresas de electricidade – e também dos apagões, claro está. É um modelo a gás natural que poderá suprir todas as necessidades do hospital em termos de electricidade, gás e climatização – com o bónus de reduzir 20 mil toneladas às emissões de gases nocivos. O equivalente, mais coisa menos coisa, a retirar 3600 veículos das estradas.

     

    8. Centro de teleconferências. Outro potencial “retirador” de carros das estradas. Através da teleconferência, os médicos podem acompanhar os doentes nos seus domicílios e impedir que estes regressem ao hospital quando não é estritamente necessário. E assim ainda poupam dinheiro e emissões de carbono.

     

    9. Camas de hospital. Bom, aqui nós próprios ficámos um pouco confusos. Segundo o Fast Company, em breve estará disponível uma nova cama InTouch que terá um utilitário de tradução para 24 línguas e uma capacidade de movimentação total. Isto permitirá melhorar o moral dos doentes e incentiva-os a mexerem-se. No entanto, a Fast Company não explica com esta cama poderá poupar nas emissões de carbono…

     

    10. Sistema electrónico de dados clínicos. Este é outro dos pontos muito importantes. Deixará de haver fichas de doentes em papel e sim um sistema totalmente informatizado que permitirá aos médicos obter todos os dados sobre os seus doentes.

     

    11. Zona de acompanhantes. Sabe-se que a presença de familiares e amigos no quarto dos doentes poderá acelerar a sua convalescença, por isso esta zona deverá ter espaço suficiente para receber as visitas e uma zona de sofás – feitos de materiais reciclados, é claro.

     

    12. Vistas panorâmicas. A investigação sugere que os doentes em quartos com vista desafogada e acesso à natureza exigem menos medicação, sentem menos dores e recuperam mais depressa. Será?

     

    PS: O seu a seu dono. A imagem que aqui reproduzimos foi publicada pela Fast Company. A infografia é da Golden Section Graphics.

    publicado por LX Sustentável às 11:56
    link do post | comentar | favorito

    pesquisa

     
    Perfil de Lisboa Sustentável
    Lisboa Sustentável's Facebook Profile
    Cria o Teu Crachá

    Categorias

    todas as tags

    Parceiros












    Media Partners









    subscrever feeds