Twitter

Twitter Updates

    Artigos Facebook

    Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

    arquivos

    Julho 2010

    Maio 2010

    Abril 2010

    Março 2010

    Fevereiro 2010

    Janeiro 2010

    Dezembro 2009

    Novembro 2009

    Outubro 2009

    Setembro 2009

    Agosto 2009

    Julho 2009

    Junho 2009

    Maio 2009

    posts recentes

    Estamos aqui: lxsustentav...

    O LX Sustentável mudou

    Mais vale tarde do que nu...

    A resposta de Pachauri

    Ainda Brasília (mas agora...

    Não há cidades perfeitas ...

    Vamos ter uma Segunda Cir...

    Planeta pode entrar em ca...

    Siemens e LNEC vão avalia...

    Como seriam as cidades se...

    Quinta-feira, 29 de Abril de 2010

    Mais vale tarde do que nunca: o exemplo de Peniche

    Começam amanhã as obras de requalificação do fosso da muralha de Peniche, que durante décadas – e até 2001 – foram uma espécie de esgotos domésticos daquela cidade.

     

    Segundo noticia o Público, o contrato de consignação da obra será assinado ainda hoje, estando em causa um valor de 3,8 milhões de euros para não só retirar os dragados e lamas poluídas da zona molhada do fosso como também aproveitar para requalificar – em termos paisagísticos – a zona envolvente.

     

    Assim, está prevista a recuperação da margem nascente do fosso, a construção de duas travessias pedonais e de uma ponte rodoviária para substituir a actual, a criação de espaços verdes e lúdicos e a iluminação pública das muralhas.

     

    E mais: após a intervenção, o local será transformado em espaço de recreio náutico, acessível a pequenas embarcações, sendo construída também uma eclusa, um sistema de comportas que vai permitir um nível mínimo de água para facilitar a entrada de pequenas embarcações. As obras vão durar 18 meses.

     

    Esta é uma excelente notícia e pela qual a cidade de Peniche esperou – e reclamou – 20 anos. Desde 2001, há quase dez anos, que a descarga de esgotos domésticos e alguns industriais no fosso das muralhas foi substituída pela ETAR (Estação de Tratamento de Águas Residuais) da cidade. Esta situação, que se acumula pelas cidades portuguesas, é paradigmática do quanto tem que mudar a política ambiental das autarquias.

     

    “Estas obras são importantes porque durante décadas o fosso recebeu esgotos domésticos e havia a necessidade de o limpar”, explicou o presidente da Câmara de Peniche, António José Correia. Em causa, para o autarca, está a qualidade de vida, o turismo rural e a melhoria do ambiente. Não poderíamos estar mais de acordo!

    publicado por LX Sustentável às 10:58
    link do post | comentar | favorito

    pesquisa

     
    Perfil de Lisboa Sustentável
    Lisboa Sustentável's Facebook Profile
    Cria o Teu Crachá

    Categorias

    todas as tags

    Parceiros












    Media Partners









    subscrever feeds