Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Segunda-feira, 9 de Novembro de 2009

Lisboa obtém resultado positivo em energia

A segunda categoria que iremos aqui analisar, tendo em conta o estudo sobre sustentabilidade que a Economist Intelligence Unit desenvolveu para a Siemens, é a da energia. Aqui, a cidade de Lisboa obtém o seu melhor resultado no cômputo das 30 cidades – um nono lugar.

 

A capital portuguesa obtém 5.77 pontos (em dez possíveis) na área da energia, mais que a média global de 4.90 pontos mas bastante menos que a melhor cidade (cujo nome ainda não é conhecido), que conseguiu uns impressionantes 9.58 pontos.

 

Na categoria de energia foram tidos em conta quatro indicadores, cada um com 25% do peso final da nota: consumo de energia, intensidade de energia, consumo de energias renováveis e políticas energéticas limpas e eficientes.

 

Assim, e em relação à media das 30 cidades analisadas, Lisboa consome menos energia per capita (48.65 contra 80.87) e mais energias renováveis (9.69 conta 7.30).

 

“É um resultado relativamente bom”, explica o Economist na análise a esta categoria. “O consumo de energia per capita de Lisboa é o terceiro menor no estudo, depois de Istambul e Belgrado”, revela o Economist.

 

Também a percentagem de energia renovável consumida pela cidade era de quase 10% em 2006 - e equivale ao sétimo melhor resultado.

 

“No final de 2008, Lisboa aprovou uma estratégia para a energia e o ambiente. O objectivo era atingir uma redução total do consumo de energia em quase 9% de 2009 a 2013. A nível nacional, o objectivo é aumentar a quota de fontes de energia renovável em 31% até 2020”, conclui o Economist na análise à categoria.

 

Amanhã vamos falar da categoria de edifícios. Mas antes teremos mais novidades por aqui. Fique atento e até já.

publicado por LX Sustentável às 11:49
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds