Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009

Manuel Pinho e a Cimeira de Copenhaga: o que é preciso é acção

Hoje, a uma semana do início da Cimeira de Copenhaga, destacamos o ensaio publicado no jornal i pelo ex-ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho, sobre a cimeira dinamarquesa, as alterações climáticas e os desafios do futuro.

 

Manuel Pinho fala da “importância excepcional” da cimeira, que é um “teste à capacidade de os países do mundo” se entenderem sobre “um problema que interessa a todos” e que, caso não seja resolvido, essa decisão "pode causar danos irreversíveis”.

 

Mais tarde, o ex-governante diz que “não é de esperar que saia um acordo final” em Copenhaga o que, dado o conhecimento que Pinho tem da matéria, não abona em favor de uma decisão positiva dentro de duas semanas. Ainda assim, Pinho diz que "é indispensável que sejam dados passos concretos na boa direcção". "Complexidade não rima com complacência. A teoria sobre como resolver um problema é conhecida de todos. O que é preciso é acção”, referiu.

 

Existe ainda, segundo Pinho, uma relação directa entre combater a pobreza e a fome no mundo e as alterações climáticas – dois dos maiores desafios do século XXI – sendo a palavra de ordem a sustentabilidade.

 

“A dependência relativamente aos combustíveis fósseis criou uma situação insustentável em termos de energia e de ambiente. Lutar por um mundo sustentável do ponto de vista da energia e do ambiente é uma questão moral, não é de esquerda ou de direita”, revela Manuel Pinho.

 

Sobre o desafio de Portugal nesta cimeira, Manuel Pinho diz que o país tem que aproveitar Copenhaga para se mobilizar em torno de um projecto nacional de sustentabilidade que pode mudar, para melhor, o nosso futuro.

 

“Portugal é um dos países no mundo que mais razão têm para empenhar-se a fundo na causa da energia e do ambiente. Somos do que dependem mais da importação de combustíveis fósseis, que tem um grande peso no deficit das nossas contas com o exterior”, explica o ex-ministro, que estará bem informado.

 

Finalmente, Manuel Pinho critica a forma “egoísta” com que “cada um pensa no seu interesse individual”. O resultado é corrermos o risco de "sacrificar o interesse colectivo de maneira grave e irreversível. Sem visão e sem liderança política podemos criar danos irreversíveis no planta”, concluiu.

 

A acreditar no texto de Manuel Pinho, não será fácil um acordo em Copenhaga. Pode ler o artigo todo (o primeiro de três) aqui.

 

publicado por LX Sustentável às 16:34
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds