Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009

Países africanos dão novo alento a um acordo em Copenhaga

Ontem chegou a Copenhaga a primeira boa notícia em vários dias de negociação: os países africanos propuseram um montante de financiamento, para os países mais pobres, de 100 mil milhões de dólares (cerca de 68,7 mil milhões de euros) a partir de 2020.

 

O valor está em linha com o montante proposto em Outubro pela União Europeia (de 150 mil milhões de dólares, cerca de 103 mil milhões de euros), mas é bem inferior ao pedido pelo grupo do G77, de 400 mil milhões de dólares anuais – 274 mil milhões de euros.

 

Segundo o Jornal de Negócios, a proposta foi anunciada pelo primeiro-ministro da Etiópia e representante da União dos Países Africanos, Meles Zenawi, durante um encontro com o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e com Fredrik Reinfeldt, primeiro-ministro sueco.

 

“Propomos que o financiamento para adaptação e mitigação comece em 2013, para chegarmos a 2015 com 50 mil milhões de dólares anuais (34,3 mil milhões de euros) e a 2020 com 100 mil milhões de dólares por ano”, referiu Zenawi.

 

Apesar da boa notícia, a Cimeira do Clima continua num impasse, quando falta apenas um dia para o encerramento da conferência. Assim, a questão que provocou a suspensão temporária dos trabalhos no início da semana, sobre se Quioto é para continuar ou não, também continua sem resolução.

 

Ainda de acordo com o Jornal de Negócios, os países em desenvolvimento querem que o protocolo se mantenha - e que os países ricos assumam a responsabilidade financeira e moral pelas alterações climáticas. Por outro lado, a Europa defende que é necessário encontrar uma solução para cativar os Estados Unidos e as outras economias desenvolvidas que não ratificaram Quioto.

 

O dia de ontem continuou, porém, a ser marcado por conflitos. Gordon Brown, como aqui adiantámos, disse que “pode não ser possível alcançar um acordo” enquanto Durão Barroso pediu aos EUA e China para darem “passos em frente”.

 

Paralelamente, a ministra do Ambiente portuguesa, Dulce Pássaro, disse hoje à Agência Lusa que as negociações têm registado alguns “solavancos” mas que estão “bem encaminhadas para conseguir um acordo global, abrangendo todos os países”.

 

“Os trabalhos estão a correr normalmente, com muita negociação para se aprofundarem aspectos necessários e podemos fechar o acordo”, disse.
 

publicado por LX Sustentável às 10:57
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds