Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

O dia D: de Decisão ou Desilusão

Chegámos ao último dia de Cimeira do Clima, em Copenhaga – apesar de ainda haver a hipótese de ela ser adiada para sábado – e está, mais do que nunca, nas mãos dos líderes mundiais uma verdadeira decisão sobre o futuro do Planeta. Será o dia da decisão, ou da desilusão.

 

Barack Obama chegou cedo ao Bella Center, vai participar na sessão plenária da manhã e irá proferir um breve discurso. Da parte da tarde, segundo os media, o presidente dos Estados Unidos continuará na sessão plenária… sendo que o ideal é que, finda esta sessão, participasse na assinatura do novo acordo climático.

 

Durante o dia de hoje, as informações mantêm-se confusas. Há quem garanta que um acordo está iminente, outros (leia-se, outros media ou ONG) dizem que as negociações nunca chegarão a um bom porto.

 

Ontem, também José Sócrates disse esperar que os Estados Unidos e China “acompanhem a liderança” europeia contra as alterações climáticas.

 

“Estados Unidos e China têm de ir mais além nas propostas que já apresentaram”, disse, citado pela Agência Lusa. “Tenho esperança [que ambos] acompanhem o esforço europeu para que o mundo possa chegar a um acordo que permita responder à mais séria ameaça ambiental dos nossos dias”, explicou Sócrates, que se referiu em particular a alguns dos obstáculos que têm sido levantados por Pequim.

 

“A China tem de ter em consideração aquilo que representa em termos de emissões para a atmosfera para a escala global e deve compreender que o objectivo desta conferência deve ser fixar limites de emissões, para que todo o mundo possa fiscalizar o cumprimento por parte de cada um dos países. Esse passo a China ainda não deu, mas tenho esperança que o possa dar nas próximas horas”, continuou.

 

A afirmação de José Sócrates deixa a entender que será a China – e não os Estados Unidos – o principal entrave a um acordo em Copenhaga. Será?

publicado por LX Sustentável às 10:32
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds