Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Terça-feira, 5 de Janeiro de 2010

EnerEscolas: um projecto a pensar na eficiência energética

Dez escolas portuguesas vão receber, nas próximas semanas, um novo sistema de monitorização de consumos de electricidade, água e gás, que servirá para poupar e desenvolver uma nova estratégia educativa para a eficiência energética.

 

Segundo noticia a Agência Lusa, este projecto piloto – EnerEscolas - vai ser desenvolvido pela empresa ISA (Intelligent Sensing Anywhere), em parceria com a portuguesa Take the Wind e a finlandesa Vaisala e vai chegar imediatamente a quatro das dez escolas: três do concelho de Coimbra e uma de Condeixa-a-Nova; uma do ensino básico, privada e três públicas dos segundos e terceiros.

 

Ainda segundo a Agência Lusa, o EnerEscolas será comercializado ainda no primeiro semestre deste ano e tem como objectivo tornar os estabelecimentos de ensino eficientes em termos energéticos, contribuindo ainda para que este tema faça parte do processo educativo dos alunos – de uma forma lúdica mas também prática.

 

Com este sistema, e através de uma plataforma de software, as escolas podem saber em tempo real os seus gastos energéticos em detalhe: quanto (dados exactos), quando (a que horas do dia), onde (em que pavilhão, em que sector, em que sala…), e com o quê se gasta energia (ao nível do equipamento individual).

 

A partir destas informações são elaborados perfis de consumo e até perceber se existem gastos anormais, uma fuga ou torneira avariada, por exemplo. Estes dados são enviados via telemóvel.

 

Finalmente, também é possível, através dos relatórios de consumo, tomar decisões informadas sobre o edifício, seja em termos de possíveis obras arquitectónicas ou de melhoria térmica, isolamento de portas e janelas ou sistemas de aquecimento.

 

“[O edifício escolar] será mais do que um local onde decorre a acção escolar. Ele fará parte integrante da acção educativa”, explicou uma fonte próxima do projecto à Agência Lusa.
 

publicado por LX Sustentável às 14:46
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds