Artigos Facebook

Gestão sustentável de resíduos em Lisboa

arquivos

Julho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

posts recentes

Estamos aqui: lxsustentav...

O LX Sustentável mudou

Mais vale tarde do que nu...

A resposta de Pachauri

Ainda Brasília (mas agora...

Não há cidades perfeitas ...

Vamos ter uma Segunda Cir...

Planeta pode entrar em ca...

Siemens e LNEC vão avalia...

Como seriam as cidades se...

Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2010

Tratado climático: os próximos passos

O Financial Times de hoje pega novamente na Cimeira de Copenhaga para fazer um balanço de tudo o que se passou – prevendo quais serão os desafios para os próximos doze meses.

 

Assim, a jornalista Fiona Harvey começa por revelar o que de bom foi conseguido na capital dinamarquesa: só a partir daqui podemos partir para uma nova abordagem ao tema das alterações climáticas.

 

Os líderes mundiais saíram de Copenhaga com duas certezas: a primeira é que todas as maiores economias mundiais – incluindo países em desenvolvimento como o Brasil, China ou Índia – referiram publicamente que estavam dispostas a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

 

A segunda é que esses mesmos países seriam responsáveis pela criação de um fundo para que os países mais pobres possam adoptar tecnologias para lidarem com os efeitos das alterações climáticas.

 

Assim, e até ao final deste mês, os países que ainda não explicaram os seus compromissos em termos de corte de emissões terão de o fazer. Os principais mercados, de resto, já o fizeram (Estados Unidos, apesar da resolução ainda não ter sido aprovada pelo Senado, União Europeia, China ou Brasil).

 

Outra das questões tem a ver com uma data para assinar o novo tratado climático. Assim, a primeira grande “reunião” depois de Copenhaga deverá realizar-se em Junho. O objectivo é que as negociações estejam concluídas e “prontas a assinar” em Dezembro, na Cimeira do México.

 

Os perigos? O volte face dos Estados Unidos, “obrigado” pelo Senado; e o volte face estratégico da China, que apesar de ter mostrado – até publicamente – vontade de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, poderá sempre mudar de ideias. Até lá, entretanto, basta-nos esperar...
 

publicado por LX Sustentável às 16:08
link do post | comentar | favorito

pesquisa

 

Categorias

todas as tags

subscrever feeds